Edições

A cada três meses uma nova edição da Revista Alagunas é publicada: nos meses de janeiro, abril, julho e outubro, no último domingo de cada mês. Trazendo poemas, contos, ensaios e crônicas.

Inaugura as publicações do terceiro ano da Revista, tomando para si o conceito de Barthes e apontando para a possibilidade de produção de uma literatura que seja “picada, pequeno buraco, pequena mancha, pequeno corte – e também lance de olhos”, que fira, que rasgue, que chame os olhos do spectator e os faça sentir, afetando as suas próprias memórias, as suas próprias experiências, as suas próprias vivências.

Alagunas #11: Pedra não quer na pedra entrar. Não a busca entender ou aspirar. Mas a usa. Pega, arremessa, move, lasca, remove, despedaça e esculpi. Pedra é a gota d’água, o papel, o fio do cabelo, a partícula do mundo. Não está para ser entendida, está para ser usada.​

Alagunas #10: Moinho, publicada em 30 de abril de 2017, tem em sua capa a ilustração de Gustave Doré à famosa passagem de Dom Quixote enfrentando imensos dragões (moinhos de vento). E busca enxergar para além, assimilando a loucura da personagem, como forma de atingir a clareza do Real.

Gatilho inaugura as edições do terceiro ano de publicações da Revista. A ilustração de capa é assinada, mais uma vez, por João Carlos: que remete às ocupações secundaristas da segunda metade de 16.

Alagunas #8: Rhinocerus

Publicada em outubro de 2016, encerra o segundo ano de publicações da Revista. 33 autores em mais de 90 páginas.

Alagunas #7: Peste propõe que a literatura pode/deve ser uma praga: tão nociva e destrutiva quanto a própria Peste Negra.

Alagunas quer ser a foice curva, que o próprio Cronos usou para arrancar as genitálias do seu pai. 23  autores contribuem para esta edição.

Albatroz quer ser a arma para ferir e quem sabe até abater os que sobrevoam, pretensamente, ditando rumos.

publicada em outubro de 2015, Vela foi a última publicação da [de edições ordinárias] da Revista em 2015, seu primeiro ano de publicações.

lançada dia 26 de julho de 2015. com 25 textos de 12 autores. entre poemas, crônicas e ensaios.

Siamês, publicada em 27 de abril de 2015, é a segunda edição da Alagunas. mantém a mesma proposta que permeia toda a sua lógica editorial: apontar um horizonte perspectivo de enfrentamento do real.

Lagosta, lançada no dia 26 de janeiro de 2015, como edição piloto aos projetos desta revista, reuni apenas poemas e ensaios dos colaboradores que contribuíram na construção da revista.

Please reload